Crianças são torturadas em ritual religioso, uma seria crucificada!

Uma família composta de dez pessoas, sendo um deles o líder de uma comunidade religiosa. Atrás de uma casa humilde, em um terreiro, os vizinhos começaram a suspeitar de que algo de errado estava acontecendo, uma criança pequena não parava de chorar, o que chamou a atenção de todos.

O fato aconteceu no município de Bragança, no Sudeste do Estado do Pará. Antes da chegada da polícia, os moradores locais conseguiram filmar o que ocorria escondido no terreiro da casa. Viram três crianças, sendo uma de apenas um ano de idade estavam sendo obrigadas a participar desse ritual. A criança mais nova não parava de chorar. Uma das crianças estava sentada no chão, aparentando não suportar mais estar lá e, segundo os vizinhos, parecia estar presa por um dos braços para não fugir.

A polícia e o Conselho tutelar foram chamados pelos vizinhos para averiguar essa estranha situação, logo o líder religioso da família explica que estava apenas orando a favor de todos contra essa pandemia do Coronavírus. O Conselho pede para entregar as crianças, porém a família e o líder religiosa se recusa, o líder religioso ignora a conselheira e a polícia, pedindo para todos olharem para o céu enquanto rezam o que acaba gerando um grande alvoroço.

Líder religioso falando para a família olhar para o céu e orar.

Segundo foi constatado, o ritual já durava quatro dias e quando uma menina foi encontrada amarrada em uma cruz os moradores a retiram e ficam ainda mais indignados com a situação.

Segundo a vizinhança, se a polícia não chegasse a tempo a criança presa na cruz seria sacrificada em troca do fim da pandemia.

Arrobando a porta para entrar na casa onde o líder religiosa se refugiou com a criança.

O líder religiosa acabou se refugiando dentro da casa mas a polícia arrombou a porta encontrando a criança e sua mãe escondidos atrás de uma cortina branca com uma cruz vermelha.

A conselheira tutelar, Rosa Kemel, confirma as denúncias de tortura das crianças.

Conselheira tutelar

Dois integrantes da família foram conduzidos para a delegacia para prestar depoimento, e ninguém foi preso. As crianças foram encaminhadas para exame de Corpo de Delito. Segundo a delegada Luciana Antunes, o caso é complexo pois se trata de liberdade religiosa, porém o caso tratará do direito das crianças em si e não da religião.

Veja o vídeo abaixo:

Kauzz

Sou blogueiro, twiteiro, vlogueiro, youtuber, biólogo, social media e podcaster. Vivo buscando conhecimento e informação nesse mundo caótico, ao lado da minha morena.

Deixe uma resposta