Adolescente de 14 anos, vítima de estupro em praça relata “Eu ia me matar porque estava doendo muito”; Veja Vídeo

A adolescente (14 anos) que foi vítima de estupro na raça Rachid Jaudy, em Cuiabá relatou que sentia tanta dor após ter sido violentada que só pensava em se matar.

A adolescente conversou por telefone com programa ‘Olho Vivo na Cidade, exibido pela TV Cidade Verde e deu detalhes do crime registrado na tarde da última terça-feira (8).

A vítima falou sobre o momento em que foi abordada pelos dois criminosos e explicou porque estava desnorteada tentando se jogar na frente de um veículo quando foi resgatada por uma mulher.

A adolescente contou estava saindo de um curso em companhia de duas amigas, na Avenida Isaac Povoas, quando passaram em uma sorveteria e saíram rapidamente porque a mãe das meninas chegou para buscá-las, então ela continuou seu caminho sozinha e sem medo por se tratar de uma região bastante movimentada, no centro de Cuiabá.

Ao se aproximar do Centro de Atendimento ao Turista, – estrutura abandonada na praça Rachid Jaudy- , foi abordada pelos criminosos.

“Eu atravessei a rua e nisso eu já fui abordada por dois caras. Tinha um matinho bem escondidinho na praça, onde você não conseguia ver muita coisa. Eu não conseguia ver muito de onde eu estava porque meus olhos estavam tapados desde quando me abordaram. Eles me seguraram pelo braço e me jogaram no chão e não consegui ver onde eu tinha caído“, relata a vítima.

“Depois eu desci para casa, peguei o primeiro ônibus que eu vi, parei na Doutor Meireles. Eu ia me matar porque estava doendo muito e eu estava choque porque não acreditei que aquilo aconteceu comigo. Ai essa moça veio me ajudar e ligou para minha mãe e pediu pra ela vir me buscar. Minha mãe me buscou e a gente foi para a delegacia”, diz ela ao comentar sobre a mulher se aproximou, a acalmou e ligou para sua família.

A mulher que ajudou a garota também foi ouvida pela reportagem do programa e relatou que a menor estava visivelmente transtornada

“Ela se sentou do meu lado e ficou ali. Ela estava meio inquieta, mas eu nem tinha percebido. De repente ela virou e perguntou se ela podia contar um negócio pra gente e foi ao que tudo aconteceu, que eu soube o que tinha acontecido com ela, onde ela estava e porque ela havia descido ali”, disse a mulher.

Veja o vídeo:

Fonte: Voz MT

kauzz

Eu só queria a paz mundial, cerveja infinita, wifi livre e uma morena peituda. Explorar a selva urbana, vlogar, blogar e memes é o que faço de melhor.  Sou blogueiro, biólogo, vlogueiro das selva urbana, amante da boa leitura e das redes sociais, vivo minha vida simples ao lado da morena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.