Ativista foi resgatar coelhos, pega 16 e mata 90 durante o processo.

Uma centena de coelhos da fazenda de Gurb em Osona, que no último domingo foi agredida por um grupo de amantes dos animais morreram. A grande maioria são descendentes, já que os 14 animais que foram levados eram mães grávidas e lactantes , de acordo com detalhes da NacióDigital que teve acesso a um relatório de um veterinário que atesta que o estresse sofrido causou o aborto e a quebra da coluna de alguns das mães.

Foram contados cinco coelhos mortos que estavam para dar à luz e vários animais com espinha quebrada ou que sofreram aborto. O texto detalha que os veterinários também foram forçados a sacrificar cerca de 90 filhotes que ficaram sem mãe.

Antes do ataque, a fazenda Gurb tinha 3.000 coelhos , dos quais 700 tinham apenas três dias para dar à luz.

A ativista fala que é mentira da fazenda e que ela estava acompanhada de uma veterinária, porém não muda o fato que ela invadiu o BERÇÁRIO do lugar onde TODOS OS COELHOS estavam prenhas ou com filhotes.

Veja um vídeo sobre o assunto:

Fonte: La Vanguardia

Kauzz

Sou blogueiro, twiteiro, vlogueiro, youtuber, biólogo, social media e podcaster. Vivo buscando conhecimento e informação nesse mundo caótico, ao lado da minha morena.

Deixe uma resposta