Bebê castor resgatado está obcecado em construir barragens na casa de sua mãe

Há cerca de seis meses, a norte-americana Nancy Coyne recebeu um telefonema de uma senhora com um pedido muito incomum: se gostaria de adotar um filhote de castor.

Nancy, que é veterinária e reabilitadora autorizada de animais selvagens em Nova York, decidiu assumir a responsabilidade pelo animal, acolhendo-o em sua casa.

“Filhotes de castores são muito, muito vocais, então quando a mulher saiu do carro com ele, eu pude ouvir os ruídos que estava fazendo e disse: ‘Oh meu Deus, isso é realmente um castor’”, relembra Nancy. “Eu abri a caixa e ele era literalmente do tamanho de uma pequena batata avermelhada com seu rabinho e eu fiquei realmente pasma.”

Embora Nancy nunca tivesse acolhido um castor antes, ela sabia que o processo era único: “Damos assistência médica e alimentação, mas não nos socializamos com eles. Mas castores são animais altamente sociais… você tem que tê-los perto de você, você tem que tê-los em sua casa e é literalmente um compromisso de dois anos em que é preciso estar disponível 24 horas por dia por eles.”

Na primeira semana de acolhimento, Nancy batizou o bebê castor de ‘Beave’. Ela passou um mês tentando encontrar outro castor órfão resgatado com quem ele pudesse se socializar, sem sucesso.

Após seis semanas morando juntos, a veterinária acabou fazendo amizade com Beave, e eles desenvolveram uma interessante fraternidade. Beave agora vem correndo sempre que sente o cheiro de Nancy ou ouve sua voz e olha para ela em busca de conforto.

@beaverbabyfurryloveAs requested by followers; I tried to get Beave chewing wood but he thought it was playtime. #Boo #FootlongShuffle #rhymepov

♬ original sound – Beave

“Levei muito tempo, mas aprendi as vocalizações dele, aprendi a postura dele. Sei pela presença dele do que ele está precisando”, disse a mamãe adotiva. “Eu sei se ele está com fome, eu sei se ele só precisa sentar no meu colo, eu sei se ele quer brincar.”

Meses depois desde sua chegada, Beave estabeleceu uma rotina diária. De manhã, ele sai para nadar no pequeno lago perto da casa de Nancy, depois volta para comer, tirar uma soneca e começar a trabalhar em sua última represa.

@beaverbabyfurryloveBeave does love that Shoe Rack at the Lake House. He tops his dams with it. #FamilyImpression #RedBullDanceYourStyle #fyp #UnwrapTheDeals

♬ original sound – Beave

O lugar favorito de Beave para construir suas represas é a porta – seja a porta da frente de casa, a porta do banheiro ou, ocasionalmente, uma das portas do quarto.

Ele também não discrimina quando se trata dos objetos que usa. Ele constrói com o que está ao seu alcance, seja um bicho de pelúcia, um chinelo, um pedaço de pau ou um dos arquivos de trabalho de sua mãe.

“A fundação de uma barragem de castor começa com pedras, então o que eles fazem é pegar essas pedras e colocá-las no lugar”, disse Coyne. “Então o que ele está fazendo com todos os objetos é movê-los como faria com pedras quando envelhecer.”

“É bonito, mas é muita coisa pra lidar”, acrescentou Nancy. “É como ter um filho pequeno.”

@beaverbabyfurryloveMore Dam Cam video of his stair/front door dam. #MotivationMonday #fyp #myhobby #wildlife #familyimpression

♬ original sound – Beave

Beave se contenta em praticar suas habilidades de construção de represas na casa e não tentará construir na água até encontrar território e um companheiro na selva. Coyne ama Beave, mas está ansiosa pelo dia em que ele se tornará independente e dono de si mesmo.

Mas, por enquanto, ela mantém uma pilha de coisas prontas para Beave, para que ele possa construir pelo tempo que quiser.

Fonte: Catioro Reflexivo

Kauzz

Sou blogueiro, twiteiro, vlogueiro, youtuber, biólogo, social media e podcaster. Vivo buscando conhecimento e informação nesse mundo caótico, ao lado da minha morena.

Deixe um comentário