Influencer cria e-Book explicando como ter vida fácil na Indonésia e é deportada da Indonésia

Uma influenciadora americana e seu parceiro estão sendo deportados de Bali , Indonésia, depois que um tópico no Twitter que ela postou gerou indignação online entre os indonésios e atraiu a ira das autoridades locais.

Em 16 de janeiro de 2021, a designer gráfica profissional Kristen Gray iniciou um tópico no Twitter falando sobre a vida em Bali, juntamente com seus pensamentos e experiências, após ter vivido na ilha por mais de um ano.

Em seu tópico (que já foi excluído), ela descreveu como ela e sua namorada, Saundra Alexander, encontraram uma nova oportunidade de ganhar dinheiro em Bali, após terem lutado anteriormente para manter uma renda estável nos Estados Unidos

IMAGEM: @gastricslut no Twitter
IMAGEM: @gastricslut no Twitter

Ela felizmente mencionou como ela foi capaz de viver um “estilo de vida elevado” a um custo com desconto, e como ela foi capaz de se tornar uma “nômade digital” com uma renda substancial o suficiente para os dois viverem confortavelmente na ilha por um longo período de tempo.

“Depois de ser rejeitada para empregos e viver das economias tentando fazer meu negócio se destacar, minha namorada e eu decidimos reservar voos só de ida para Bali, Indonésia”, disse ela. “Esta ilha tem sido incrível por causa de nosso estilo de vida elevado a um custo de vida muito mais baixo.”

“Em março, quando a pandemia atingiu e nosso plano de 6 meses foi pela janela, decidimos ficar em Bali para ‘esperar’ e estamos aqui desde então.”

Em seu tópico, Gray, que também tem um número considerável de seguidores no Instagram, descreveu especificamente Bali como seguro, barato, luxuoso e “amigável para gays”, e passou a promover um e-book escrito por ela e sua namorada intitulado Our Bali A vida é sua

Custando US $ 30, o livro contém informações que forneceriam aos leitores um “link direto” para agentes de vistos que poderiam ajudá-los a entrar na Indonésia durante a pandemia COVID-19.

“Somos apenas duas garotas negras tentando dar conhecimento e construir uma comunidade de humanos que conhecem sua divindade e querem prosperar contra sobreviver”, disse ela.

Acontece que vender esse eBook foi justamente o que as autoridades usaram pra deportar a moça, afinal, ela estava querendo fazer praticamente um êxodo de americanos até a ilha. O livro custava 30 dólares (158 reais), e lá dentro do eBook você descobriria que teria que pagar por uma consultoria de 50 dólares (264 reais).

Sendo assim, ela ganhou uma carona das autoridades até o aeroporto, onde foi mandada de volta aos EUA:

A lição que fica é essa: quem come quieto, come sempre.

Fontes: Mashable e Ovelhas Voadoras

Kauzz

Sou blogueiro, twiteiro, vlogueiro, youtuber, biólogo, social media e podcaster. Vivo buscando conhecimento e informação nesse mundo caótico, ao lado da minha morena.

Deixe uma resposta