Lamentável – Pai jogou filho de 8 anos em represa após diagnóstico de tumor no cérebro da criança

Corpo da criança foi encontrado boiando no dia 1º de agosto, na Represa de Itupararanga, em Votorantim (SP).

Uma semana depois, os bombeiros também encontraram o corpo do pai no mesmo local; homem estava desaparecido.

O pai do menino de oito anos que foi encontrado morto na Represa de Itupararanga (SP), em Votorantim (SP), jogou a criança na água depois de receber a notícia dos médicos que ele estava com um tumor no cérebro, concluiu a investigação da Polícia Civil.

O corpo da criança foi encontrado boiando na represa no dia 1º de agosto por um segurança do local. Ele chegou a ser socorrido, mas teve uma parada cardiorrespiratória e não resistiu.

Já o pai, Arisvaldo Lopes, que estava desaparecido, foi encontrado morto na mesma represa na tarde deste domingo (8), uma semana após o filho.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e retirou o corpo do pai da água, com a ajuda de cordas e um barco, e o encaminhou para o Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba (SP).

Segundo a Polícia Civil, a criança havia feito um tratamento de câncer, mas foi diagnosticada com um novo tumor no cérebro e sido “desenganada” pelos médicos.

O pai sofria de depressão. Um laudo feito pelo IML apontou afogamento como a causa da morte da criança.

O corpo de Arisvaldo será enterrado às 15h desta segunda-feira (9), no cemitério Jardim Eterno, em Piedade (SP). Ele deixa a esposa e outro filho, de 20 anos.

Depois que o corpo do menino foi encontrado, na semana passada, começaram as buscas pelo pai, que estava desaparecido.

O carro dele foi encontrado nas imediações da barragem e estava com a chave no contato. Sandálias e um boné também foram encontrados pelas equipes.

Foram dias de procura até o corpo do pai ser encontrado.

O Corpo de Bombeiros chegou a fazer buscas no local com ajuda de um drone.

Fonte: Anari Web

Kauzz

Sou blogueiro, twiteiro, vlogueiro, youtuber, biólogo, social media e podcaster. Vivo buscando conhecimento e informação nesse mundo caótico, ao lado da minha morena.

Deixe um comentário