Padre é barrado a caminho de batizado

O padre Omar Raposo, reitor do Santuário Cristo Redentor, foi barrado na manhã deste sábado (11) por seguranças do Parque Nacional da Tijuca na guarita de acesso ao alto do Corcovado.

Padre Omar iria celebrar um batizado na capela sob os pés da estátua, marcado para as 7h30, mas sua comitiva foi impedida de subir, sob a alegação de que “não estava autorizada”.

O Santuário contesta e afirma que o evento foi previamente comunicado ao parque. Mesmo assim, até a criança, seus pais e padrinhos “foram travados”. O batizado só foi realizado duas horas depois.

O platô onde fica a estátua do Cristo, no topo do Corcovado, pertence à Arquidiocese do Rio, que administra e conserva o cartão-postal. Todo o entorno, no entanto, é gerido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A autarquia também controla as lojas do complexo — hoje fechadas — e todos os acessos de veículos na Floresta da Tijuca.

Segundo o Santuário, não foi a primeira vez que celebrantes foram parados rumo ao Cristo. Uma nota de repúdio ao ICMBio foi emitida neste sábado, citando esse e outros “atos hostis”.

“Nos últimos meses, a postura dos seguranças do Parque Nacional da Tijuca tem sido hostil em relação ao reitor do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar, e aos funcionários do Santuário”, diz o texto.

“De maneira recorrente, Padre Omar, bispos e outros religiosos, juntamente com fiéis e convidados da Igreja que participam das missas, casamentos, batizados e ações culturais promovidas pelo Santuário, passam por constrangimentos ao acessar o Santuário”, detalhou.

Até a última atualização desta reportagem, o Instituto Chico Mendes não tinha se manifestado.

Fonte: G1

Kauzz

Sou blogueiro, twiteiro, vlogueiro, youtuber, biólogo, social media e podcaster. Vivo buscando conhecimento e informação nesse mundo caótico, ao lado da minha morena.

Deixe um comentário