Rinha de góticas num fundo de quintal atrai todas as famílias do bairro em um dia alegre

O fenômeno do WWE é famoso somente entre estado-unidenses e crianças do mundo inteiro. Alguns realmente não sabem que é tudo roteirizado, outros sabem, e mesmo assim gostam, enxergando a situação toda como se fosse uma novela.

Devido ao sucesso que tal coisa tem por lá, várias outras entidades começaram a fazer seus próprios festivais de luta livre roteirizadas. Um deles é o UBW Military Madness, que atua em fundos de quintal, normalmente atraindo famílias curiosas que buscam o que fazer numa tarde ensolarada no final de semana.

Uma das atrações da UBW Military Madness foi a luta entre duas góticas: a Living Dead Girl e a Christy Lynn. As duas saem de seus camarins, que devem ter custado 25 reais pra serem erguidos. A primeira que entra é a Living Dead Girl, a gótica que se acha a melhor do rolê, curte Evanescence e faz a cova de outras góticas pra manter seu posto de gótica-alfa:

Depois vem a Christy Lynn, a gótica que sabe as letras do Slipknot de cor, chama os outros de poser e ajuda quem está vomitando:

Como sabemos, essas duas espécies de gótica são inimigos naturais. Talvez por isso essa rinha de góticas tenha atraído cerca de 100 pessoas do bairro, entre elas idosos e crianças. A luta começa, e Christy começa a ameaçar, embora no fundo não tenha coragem, e a Living Dead Girl (é comum góticas inventarem nomes pra si mesmas), ainda que no fundo tenha medo, usa o desdém pra disfarçar:

O juiz pede que a Living Dead Girl faça algo, e ela continua com seu desdém, dizendo agora que não vai brigar porque violência é ruim (será que arregou?):

Então chega um cara que é aquele apaixonado pela Living Dead Girl e faz tudo por ela e está na “friendzone” há 4 anos.

E simplesmente ele começa a enforcar a Christy enquanto a Living Dead Girl passa o zapzap pra um Chad na frente dele. Veja o vídeo:

Fonte: Ovelhas Voadoras

Kauzz

Sou blogueiro, twiteiro, vlogueiro, youtuber, biólogo, social media e podcaster. Vivo buscando conhecimento e informação nesse mundo caótico, ao lado da minha morena.

Deixe uma resposta